quarta-feira, 16 de julho de 2008

Uma tragédia

Olá pessoal..

Primeiramente queria dizer que fico muito feliz de ver sempre um coment de uma nova futura aupair por aqui. Fico feliz que vcs achem meu blog interessante. Eu não dou muitas informações como outras blogueiras, mas às vezes conto umas aventuras por aqui...

O dia de ontem foi muito triste, e vou contar porque...

Era uma terça-feira normal, e como é verãozão aqui, quase todo dia vou com os meninos pra um lago artificial que tem aqui, que eles insistem em chamar de piscina. É um lugar bem legal, como se fosse uma prainha, com areia e tudo. Toda a cidade vai lá e é sempre lotado. Os meninos tem aulas de natação lá, então estamos lá quase todo dia mesmo!

Quando estava passando em frente, antes de entrar no estacionamento, vi vários carros de polícia, bombeiros e ambulância, dentro do lugar, tipo, estacionados na areia e depois vi alguns no estacionamento tb. Eu, bem inocente, pensei que alguém tinha passado mal, ou se acidentado ou coisa assim.

Entramos no clube e eu logo ouvi uma mulher dizendo que um menino tinha desaparecido. Não me preocupei muito, porque isso vinha acontecendo de vez em quando. Quando a piscina tá muito lotada, alguma criança sempre se perde. Aí eles normalmente anunciam no microfone, e pedem pra todo mundo sair da água pra checar se a criança está lá...o povo só volta pra água quando a criança é encontrada. Normalmene, ela correu pro parque que tem do lado do clube, ou pro meio das árvores.

Mas dessa vez a coisa era mais séria. Deu pra perceber quando eu cheguei na areia.

Quando olhei pra água, vi um mergulhador, tipo, com tanque de oxigênio e tudo. Todos os salva-vidas estavam dentro d'água, mergulhando e vasculhando cada canto...e tinha cerca de 10 carros de emergência por lá.

Todo mundo estava pra fora d'água, obviamente. E com cara de assustado. Acabei descobrindo que o menino era coreano, tinha 14 anos e não sabia nadar. Pelos meus cálculos, ele já havia desaparecido há pelo menos uns 15 min. quando eu cheguei lá. Alguns minutos depois, ouvi no microfone uma voz de adolescente. Tinham colocado o irmão dele pra falar, chamando-o pelo nome e falando coreano, pra ver se o garoto escutava, onde quer que estivesse. Foi de cortar o coração, gente, de verdade!

A professora de natação dos meninos é salva-vidas. Vi ela correndo com o outros e percebi que todos haviam sido chamados, até os que não estavam trabalhando.

E o tempo passava...e nada...

Os meninos estavam impacientes, assim como as outras crianças. Eles queriam entrar na água, e não entendiam porque não podiam. Ficavam brincando na beirinha, me dizendo toda hora que estavam entediados. Eu tentava explicar pra eles o que estava acontecendo, mas eles pareciam não se importar muito.

Até que eu ouvi um grito. Um grito que vai ficar na minha cabeça por muito tempo.
Era um dos salva-vidas no meio do lago, exatamente no meio, na parte mais funda (mais de 3,5m). Ele tinha achado o garoto.... Mas já tinha se passado meia hora desde que eu tinha chegado, o que significava que o menino estava submerso há pelo menos isso. Uns 40 min, eu imagino...

A reação das pessoas ao meu lado foi quase imediata. Uns se abraçaram, outros começaram a chorar, e eu corri pra tirar os meninos de perto da água (sei lá pq, reflexo, acho). Todos esperavam encontrar o menino escondido nas árvores, ou na biblioteca que fica do lado... Depois fiquei sabendo que a mãe do garoto (a mãe e o pai estavam lá) tinha uma expressão de felicidade quando viu que tinham encontrado seu filho...acho que a primeira reação é essa mesmo...há sempre uma esperança, e eu duvido que ela tinha noção do tempo que tinha se passado naquele momento.

A cena foi chocante. No momento que o salva-vidas gritou, vários outros pularam na água e trouxeram o garoto pra margem. Aí começaram a fazer a ressucitação...ficaram uns 10 minutos na areia, tentando salvar o garoto. Até da minha parte, eu sentia que havia uma esperança boba...mas todo mundo sabia que a chance de ele sobreviver era zero...

Ele foi colocado na ambulância, e levado ao hospital. Imediatamente a piscina foi fechada.
Durante o acontecido, falei com a minha host pelo telefone. Ela ficou muito chocada, como todo mundo lá estava. Alguns minutos depois, quando tinha levado as crianças pra uma atividade na biblioteca, ela me ligou novamente e confirmou que o menino havia morrido.

Os salva-vidas ficaram no clube por mais algum tempo e os policiais tb. Depois de uma meia hora, todos os salva-vidas passaram caminhando pelo meio do campo onde eu estava com as crianças. Todos com cara de choro e inconsoláveis! Algumas pessoas começaram a aplaudi-los e eu me juntei a eles imediatamente. Dá pra imaginar como eles estavam se sentindo?? Achei que era o mínimo que podíamos fazer, eles fizeram um bom trabalho.

O dia foi triste demais. Não se sabe direito o que aconteceu, se o garoto pulou na parte funda da piscina, ou se foi andando em direção a ela até perder o controle pra voltar. Eu e minha host achamos que foi isso, pq eu vi um dos salva-vidas acompanhando o irmão dele até a parte rasa da piscina pra pegar as coisas da família.

Fiquei muito chocada, e mesmo não conhecendo o menino, isso me afetou dmais. A cena do salva-vidas gritando volta na minha cabeça toda hora.

E sem querer parecer clichê, a gente dá mais valor à vida sim, principalmente das pessoas ao nosso lado, quando isso acontece. E agora sei que vou ficar ainda mais atenta quando foi com as crianças pra lá.

Bem, era isso que eu queria contar pra vcs hoje. Gostaria que fossem boas notícias, mas acho q é algo que vcs devem saber. Aupairs, cuidado com as crianças em piscinas, por mais que elas saibam nadar e principalmente se elas não souberem. Futuras aupais, lembrem-se disso quando vierem pra cá.

E a mim, só me resta desejar paz de espírito pra essa família, e que eles possam encontrar forças pra enfrentar essa tragédia.

Abraços a todos...

3 comentários:

Mari. disse...

Nossa, Line, que história triste mesmo! Fiquei arrepiada quando li, imaginando que a própria família do garoto poderia não ter idéia do que tinha acontecido realmente com ele. Nós nunca imaginamos que isso pode acontecer na nossa frente, mas é preciso tomar cuidado redobrado, ainda mais quando se trata de crianças.
Um beijo, querida, e fica bem!
Mari.

Nani disse...

Poxa, Line, que triste =(
Imagino o seu desespero, o das pessoas lá, e principalmente da família. Infelizmente a falta de atenção de algumas pessoas e desobediência de algumas crianças e adolescentes faz com que essas coisas aconteçam. Mas a gente precisa seguir, sempre atentas, pq tudo pode acontecer em fração de segundos...
Se cuida, ta?

Bjão!

Eder disse...

Credo que triste...

Beijos!